31-05-2012

Eu tenho medos
Medos que não se acabam
Medos que se julgam importantes
Medos que se tornam ideais

Eu tenho medos
Que não acabam

Que me transformam a cada dia
Que me tornam uma criatura
Que nem sei se quero ser

São medos que me dão força
São medos que me destroem

Eu tenho medo
Dos meus próprios medos.

Anúncios

Pensei dizer

Olha, eu sei que você deixou bem claro desde o início que não queria nada sério. Eu também não queria, na verdade não quero.
Olha, tá frio pra caralho aqui fora, minhas mãos estão congelando e eu não quero te incomodar, eu só preciso que você saiba de tudo.
Você mexeu comigo muito mais do que eu gostaria. Você nunca prometeu voltar, mas mesmo assim eu te esperava.
Talvez eu esteja um pouco alcoolizada, eu só preciso dizer que não sei mais que fazer pela manhã quando acordo e parabéns a culpa é toda sua.
Porque anseio o toque forte dos seus dedos e o amor reprimido que você libera quando me vê.
Ando pensando em trocar de cidade, talvez você pense que é drama da minha parte, mas está doendo pra caralho continuar aqui. Não sou o tipo que gosta da pena dos outros, mas se você sentisse só um pouquinho de mim, confesso que iria adorar.
Eu só queria entender como que diabos você dorme a noite, depois de receber o amor dos outros e não ser recíproco com ninguém. Como que você consegue ser tão sujo ao ponto de sorrir para os outros sem ter intenção nenhuma de ficar.
Sei que você não me deseja como eu te desejo, mas se você não se perdesse um pouquinho em cada alguém, talvez conseguisse ser inteiro comigo.
No fundo sei que você não sente o sabor doce do meu nome. Será que você já sentiu o sabor doce de alguém?
No fundo você é diferente de tudo o que conheci. Você é bom, você é atencioso e talvez até seja uma pessoa carinhosa. Mas se eu te disser tudo isso, sei que você vai rir da minha cara.
Mês passado você estava no fundo do poço da sua própria dor, lá caído, tão fraco, gritou meu nome e eu te puxei de volta, lutei por você, lutaria novamente, estou lutando, te mostrei o mundo através dos meus olhos,, me diz como teve coragem de ir embora mesmo depois de tudo isso?
E não me venha com esse papo de que eu mereço alguém melhor que você, eu sei exatamente do que eu preciso.
Eu sei que você é confuso e que está sofrendo, mas porquê não deixa sua birra de criança de lado e vem me ver?
Tento enxergar seu lado bom, mas as vozes na minha cabeça dizem que é a toa, que estou fantasiando algo que nunca existiu. Será que alguém poderia me explicar como nada disso existiu?
Como você consegue ser assim?
Como consegue olhar nos meus olhos e dizer que aquele amor que fizemos no sofá não significou nada? Como consegue tocar minha pele e depois ir embora sem ter a pretensão de voltar?
Já amanheceu novamente, ensaiei todas essas palavras, a neve derreteu lá fora e estou aqui de olhos abertos esperando qualquer sinal sóbrio de você, tentando recolher os cacos que restaram e implorando para a minha consciência deixar tudo pra lá.

Mal-dita

Mal-ditas sejam as noites

Que meus cânticos se transformam em dores

Mal-ditas sejam as noites

Que as palavras se agonizam

Implorando serem escritas

Por quem quiser fazer

Mal-dito seja o amor

Que inspira escrever

As mais belas poesias

E mal-dita seja eu

Que dou de cara com a parede

Tentando fazer um rimete

Que nem sei se quero fazer

Mundo

Desafía todos los días
Ser desvelado por quien confía

Invita con tu velo de mar
Excita con su mirada de arena
Inspira con su abrazo de lluvia
Siendo el refugio y la tortura

Engaña a aquellos
Quienes dicen sobre él saber

Danza con su viento,
Sonríe con su sol,
Quema con su amor
Trayendo el dolor
A todos nosotros

Todos piensan que es fuerte
Pero hay pequeñas arrugas
Que revelan su edad materna

¡Deja de darnos comida en la boca!
Y enseña de una vez por todas
Cómo descansar en un seno dulce
Y ser como tú.

Nos muestra cómo dibujar montañas
Cómo montar estrellas
O simples telas
Que se parezca a ti.

Versos escritos depois de um cara me salvar de ser atropelada.

Eu queria ter um pai
Pra me segurar em desalento
Pra me proteger da escuridão
Pra me salvar do sofrimento

Eu queria ter um pai
Pra viver em sintonia
Chorar durante o dia
E a noite repousar em teu peito

Eu queria ter um pai
Pra enfrentar a escuridão da noite
A maldade do mundo
E os ferimentos que a vida nos faz

Eu só queria ter um pai
Para ser sua garotinha
E viver com harmonia
Até o fim dos meus dias.

Breve reflexão sobre a meritocracia.

Imagine uma porta bem bonita que te leva para o futuro.

Um futuro com uma casa bonita, um bairro seguro, plano de saúde, comida quentinha na mesa, o emprego dos sonhos, muitas viagens, enfim.

Essa porta tem um cadeado e para passar você só precisa abrir ele.

Você mexe nesse cadeado, ele está travado, então você o chuta uma, duas, três vezes – e nada.

Você se desespera, chuta, bate, usa unhas e dentes. Você então passa a socar esse cadeado com toda a sua força até que suas mãos doem, mas você não desiste, porque esse cadeado é a solução que você procura. Você soca e soca até que suas mãos se machucam, mas você tem um propósito e elas sangram, mas você não vai desistir e elas caem.

Você não tem mais unhas, dentes ou mãos. Você olha para o lado e vê que seu vizinho tem uma ferramenta. Ele ganhou essa ferramenta e o cadeado dele está quase se abrindo para o mesmo futuro.

Você escuta pessoas gritando que seu esforço não é o suficiente, que ele é o melhor e que você não tem a menor chance de conseguir.

Então você continua e continua, até que não te restam mais braços.

As pessoas te olham e gritam que você não se esforçou o suficiente, mas vocẽ deu tudo o que tinha.

Agora, se olharmos para o nosso dia a dia as coisas são assim.

O cadeado é uma boa universidade ou um emprego.
A porta é o futuro.
A ferramenta é conseguir agarrar as oportunidades. A ferramenta é a comida na mesa, é a base familiar.
O vizinho do lado são aqueles que têm acesso a tudo à tudo isso.
E você pode ser aquele que está lutando para abrir o cadeado e que está ouvindo que seu esforço não é o suficiente, afinal, “você não conquistou muita coisa ainda”, não é mesmo?

Olha, se eu pudesse te dizer uma coisa, diria que mesmo que vocẽ não tenha conseguido abrir o cadeado ainda, eu sei que você pode, mesmo que suas unhas, seus dedos e mãos caiam, eu acredito em você. E sei também que às vezes a gente só precisa de alguém que acredite em nós para a nossa ferramenta surgir. Então por favor não desiste, faça isso por você, por mim, por nós.